Drenagem linfática: uma poderosa massagem no combate à celulite

A drenagem linfática é uma modalidade de massagem cujo objetivo principal é a redução de edema (inchaço). Suas manobras facilitam a drenagem do edema, que é composto de líquidos que extravasam dos vasos linfáticos (linfas) e ficam acumulados nos tecidos. É útil em toda alteração que envolva inchaços e retenção de líquido. Suas manobras são originalmente suaves, lentas e seguem o trajeto do sistema linfático.


A drenagem traz benefícios nos casos de edemas pós-operatórios de cirurgias plásticas (faciais e corporais), de pós-mastectomia - reduzindo o inchaço nos braços -, celulite, retenção hídrica e gravidez. Também parece favorecer a diurese (produção de urina) e a eliminação de toxinas.

O que é linfa?

Linfa é o nome que se dá ao fluido que circula nos vasos linfáticos, constituído por água, uréia, células do tipo linfócitos (que conferem imunidade), sais e proteínas. Os vasos sanguíneos liberam sangue entre os tecidos, "regando-os", oxigenando-os e alimentando-os. Os vasos linfáticos sugam de volta parte desse líquido excedente, já com resíduos metabólicos, toxinas que o organismo desprezou e eliminou. Este líquido, chamado linfa, é, portanto, o fluido que sobra, depois que os tecidos foram "lavados" e alimentados pelo sangue. A perfeita drenagem desse líquido impede edemas (inchaços) e retenção excessiva e tem função de defesa imunológica. A drenagem linfática facilita esse processo, acelerando-o.

Tem que doer e ficar roxo para funcionar?

Tradicionalmente, a drenagem linfática tem efeito relaxante, agradável e proporcionaria até um certo torpor, sendo suave e ritmada. Sabe-se que ela facilita a dissolução dos nódulos de celulite e gordura localizada. Nos últimos anos, aliou-se os benefícios de drenagem dos líquidos à manipulação do tecido adiposo (gordura). Então, o que temos atualmente sob o conceito de drenagem linfática, na realidade, é uma massagem que atinge esses dois alvos - o linfático e o gorduroso. Enquanto o primeiro requer apenas manobras suaves, o segundo exige certa energia e pressão mais forte para ser bem efetivo: é a drenagem linfática-adiposa. Se a finalidade está focada na gordura e celulite, o procedimento pode doer um pouco e deixar alguns hematomas, graças à manipulação do tecido adiposo, com manobras mais firmes e enérgicas.

Como ela age especificamente com a celulite?

A celulite é formada por gordura, líquido e traves de tecido conjuntivo que aprisionam os nódulos de gordura. Sendo assim, a manipulação da gordura, das traves fibrosas, favorece sua dissolução e metabolização, aumenta a chegada de sangue no local e aumenta as trocas metabólicas - a velocidade de todos estes processos aumenta. Por isso, a retenção de líquido que há na celulite diminui com a drenagem linfática.

E com a gordura localizada?

A manipulação vigorosa da gordura provoca vasodilatação e aumenta a velocidade de metabolização, tendendo à suavização de contornos irregulares e à redistribuição harmônica da gordura, principalmente se aliada à dieta. O metabolismo pode se acentuar nos locais que estão sendo massageados com energia.

E com a flacidez?

A vasodilatação que decorre da simples manipulação favorece a revitalização da derme, com incremento da formação e reorganização do colágeno, conferindo mais firmeza à pele. Já no tônus muscular o efeito é discutível: na verdade, teria ação repousante, corrigindo tensões nos músculos, espasmos e contraturas.

Qual o tipo físico que mais se beneficia com a drenagem?

Os resultados quanto à celulite e gordura são mais nítidos nas mulheres de tipo físico curvilíneo, típico das brasileiras, que geralmente retém líquido e acumula gordura em torno de quadris e coxas, tem pernas mais grossas e braços roliços. Essas mulheres tendem a oscilar a retenção de acordo com a fase menstrual e notam muita diferença de acordo com o que ingeriram na véspera (sal, carboidratos etc). Já as pessoas com edemas pós-cirúrgicos, pós-traumáticos e por má circulação podem ver resultados mais rápidos em relação à melhora do inchaço do que as que têm a gordura e celulite como preocupações principais.

Quantas sessões são necessárias para primeiros resultados?

Gordura localizada: no mínimo 10 sessões.
Celulite sem excesso de peso: no mínimo 5 sessões.
Celulite com excesso de peso: no mínimo 10 sessões.
Edemas (inchaços): melhoram após a terceira sessão.


Por Ligia Kogo, dermatologista, formada pela Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) - e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, da Sociedade Brasileira de Medicina Estética e diretora da Clínica Ligia Kogos de Dermatologia. 

Fonte: Bolsa de Mulher