Dicas de mecânica para mulheres

Você está saindo do salão com as unhas impecáveis e escova perfeita quando, de repente, seu carro surta! Superaquece, engasga, fica sem força. Você, rapidamente, corre para a primeira oficina que encontra (aquela com nome de prestígio!) e conhece o Sr. Roberto, especialista em bloco e vibraquim ? vulgo "rebimboca da parafuseta". O cidadão faz aquele ar de reprovação, balança a cabeça e profere uma dúzia de palavras incompreensíveis, seguido de um orçamento milionário. Humpf! Você sai se sentindo a maior incompetente do planeta e com as finanças viradas do avesso, além de ainda não ter entendido o que diabos é um "pistão" e uma "biela". Ser enrolada por um mecânico espertalhão é uma constante no cotidiano feminino. Aproveite nossas dicas de mecânica básica para poupar o seu suado dinheirinho e evitar mais micos na borracharia. E ria da próxima vez que o Sr. Roberto fizer aquela cara de enterro quando abrir o capô do seu carro.


Poucas mulheres no mundo se relacionam bem com motores e válvulas, mas acabam pagando o preço de serem enroladas por um mecânico espertalhão. Às vezes, um pequeno ajuste acaba saindo caro por pura ingenuidade feminina. Simone Rodrigues, promotora de eventos, já perdeu as contas das vezes que foi "ludibriada" em mecânicas e chegou até a armar um escândalo por causa de um pneu. "Eu estava saindo do trabalho quando percebi que meu pneu estava murcho. Eu imaginei que tinha sido esvaziado na rua, mas quando cheguei na borracharia me disseram que estava furado e que não tinha câmara e blábláblá. Tudo para me empurrar um pneu novo que custava R$ 80,00. Eu vi que era embromação e disse que ia chamar a polícia!". Algo parecido aconteceu com a artista plástica Marta Rondelli. Ela só conseguiu saber a verdade sobre o conserto de seu carro quando avisou que o marido iria lá para acertar o preço. "É horrível não saber nada de mecânica! Eles [mecânicos] nos tratam como retardadas, mas é só falar em marido ou filho que eles já vão mudando o papo. É impressionante como já nos acostumamos a pedir para um homem levar o carro para arrumar", diz ela, revoltada.

Outras moçoilas, no entanto, cansadas da enganação, optaram por entrar num cursinho rápido de mecânica. Nossa colunista de Gastronomia foi uma delas. Noca Milne-Jones pagou seu mecânico para dar um mês de aula para ela e hoje consegue identificar os problemas e até fazer alguns consertinhos básicos. Nossa heroína chegou até a salvar seu motor que ia fundir. Ela ouviu o barulho e avisou o mecânico, que duvidou do diagnóstico, mas teve que dar o braço a torcer. Hoje já existem algumas alternativas bem viáveis para as moçoilas que não têm medo de meter a mão na graxa: algumas concessionárias de veículos e lojas automotivas estão oferecendo cursos de mecânica básica e dicas de funcionamento do seu carro (veja os cursos no final desta matéria). Luciana Ferreira, estudante de administração em São Paulo, resolveu entrar num desses cursinhos depois de ter sido muito enrolada por seus mecânicos de "confiança". "Fiz o curso da DPaschoal e aprendi um monte! Já participei até de um concurso de troca de pneu e ganhei", conta ela. "E olha que já economizei muita grana depois que aprendi a lidar com meu carro."

Bateria agonizante

Não há nada mais detestável do que você sair de casa numa boa, ir para o trabalho (ou supermercado!) e, na volta, você ligar o carro e ele nem dar sinal de vida. É um horror! E pior ainda é porque sempre aparece um homem, com um certo sorrisinho irônico, dizendo que tem que fazer pegar no tranco ou fazer uma "chupeta". Calma! Não pensem bobagem! "Chupeta" é apenas quando você liga sua bateria vazia numa outra cheia (no caso a dele) e carrega com um pouco de energia. Para não ficar na rua e não ter que agüentar uns sujeitinhos rindo na sua cara, faça o teste de carga, em qualquer eletricista, com freqüência, além de verificar o nível da água, e nunca completá-lo com solução para baterias. O certo é usar sempre água destilada. Agora, muita atenção: se você tiver um carro com injeção eletrônica, deve evitar fazer pegar no tranco!

Barulhos estranhos

A melhor maneira de identificar um problema em seu automóvel é prestando bastante atenção e usando os sentidos. Assim, você será capaz de descobrir em que região do motor há algum tipo problema de acordo com o barulho que ele faz. Então, se você ouvir um ruído na parte superior, devem ser as válvulas batendo ou algum objeto estranho, que pode ser parte de alguma peça quebrada. Por isso, é importante ter cuidado. Se o barulho vier do meio do motor ou da parte inferior, é porque, normalmente, algo está funcionando com folga ou está faltando lubrificação nas peças. Outro ruído ao qual deve-se ter muita atenção é aquele que parece o de várias pancadas (como um martelo). Isso pode querer dizer que seu motor está prestes a fundir. Foi esse tipo de barulho que nossa amiga Noca ouviu e evitou gastar muitos reais com seu motor.

Superaquecimento

Muita atenção aos ponteiros, meninas! Quando seu carro apresentar sinais de superaquecimento (o ponteiro estar perto da região vermelha ou a luz de temperatura ascender) pare num posto de combustível e peça para o frentista verificar a quantidade de água no radiador. Se você colocou água há pouco tempo é sinal de que há vazamento no reservatório. Se não for nenhum desses motivos, o sistema pode estar entupido, precisando de limpeza e aditivos. Outra possibilidade é de o defeito ser no "cebolão", a peça que liga a ventoinha do carro, que tem como função resfriar o motor. Não pense que esse é um probleminha à toa, qualquer descuido maior e seu motor vai para as cucuias, junto com seu saldo bancário. Ah! E não se aventure a dar uma de mecânica experiente e sair abrindo o capô do carro quando ele ainda estiver quente.

Freios cantantes

Você está fazendo uma curvinha mais fechada e se sente numa pista de racha de tanto que os freios assobiam? Técnicos em mecânica afirmam que, quando o assobio é leve, normalmente, é por causa do tipo de material usado na fabricação das pastilhas de freio, que ao entrar em contato com o disco produzem o barulho. Se o barulho ao frear for semelhante ao de um atrito entre metais, no entanto, é provável que as pastilhas estejam gastas. Neste caso, você deve trocá-las imediatamente, para que não haja perigo de acidente.

Evite andar na reserva

Por economia ou mesmo por esquecimento, muita gente acaba sempre rodando com o tanque quase vazio. Esse velho hábito pode trazer problemas. Andando na reserva, as impurezas, que normalmente ficam no fundo do reservatório, sobem e acabam entupindo os filtros e os bicos injetores, além de prejudicar a injeção eletrônica. Se você vive com a luzinha do combustível acessa e o seu carro começar a engasgar e parecer perder a força, pode ser a injeção eletrônica com problema por causa do seu descuido. Ter pouco combustível também pode provocar o superaquecimento da bomba elétrica ? que fica dentro do tanque ? e pode acabar danificando esse componente.

Economizando combustível

Do jeito que está o preço do combustível nada melhor do que conhecer o seu carro e tentar tirar o melhor proveito dele gastando menos gasolina. Para isso, mantenha as velas, filtros (de combustível e de ar) e bicos injetores sempre limpos, o motor regulado e os pneus calibrados. Outros cuidados necessários são: não acelerar demais, deixar os vidros sempre fechados e não carregar peso desnecessário no porta-malas.

Está se sentindo uma expert em mecânica? Vá com calma! Ainda há muito o que aprender, mas já vá pensando em questionar mais quando seu mecânico vier com um diagnóstico suspeito.

Fonte: MSN Mulher